Páginas

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Amor é pra sempre. É eterno. É intenso e é severo.

O amor é o sentimento mais lindo/profundo/intenso que existe, é tão assim que tem gente até que mata - o que eu acho um absurdo, porque isso não é amor e sim uma doença. Amar é apoiar, ser um porto realmente seguro, incentivar, dar carinho, completar, enfim, ser o sentimento em pessoa. Mas acontece que as pessoas estão vulgarizando este verbo lindíssimo em apenas um comprimento, e na maioria das vezes nem sabe o que significa tal ato.
Estou revoltada, porque crianças de 10 anos (ou +) estão fazendo coisas que só adultos deveriam fazer. Crianças fabricando outras crianças. E o pior de tudo, é que a cada namoradinho que têm dizem que os amam. Entenda, amor é para sempre, infinita e unicamente. Não tem como você amar o mulequinho que mora na rua da sua casa, amar o seu coleguinha de escola, e o que vai à feira com você também. Unica e exclusivamente. Como dizia o velho Dalai Lama profunda e passionalmente: Você pode se machucar, mas é a única forma de viver o amor completamente.
Também não podemos o confundir com a paixão; quando fulana está apaixonada, ela não vê nenhum defeito no fulano, mas quando ela passa a amá-lo, conhece seus defeitos, mas eles não importam. A paixão é como se fosse o verão, existencial por um certo período forte e vigoroso, mas depois duas alternativas:
1) Vem o inverno;
2) Torna-se a primavera, onde tudo é bonito, vermelho e com cheiro de rosas. :)

Paixão é um lado de águas claras onde o que se vê é o reflexo do bonito, interessante. Amor é uma cachoeira,  forte e impulsiva, que segue a toda força para o oceano, e quando se ama, seguem juntos para qualquer lugar que for, desde que sejam um só.
Ficadica. ;)

Nenhum comentário: