Páginas

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Um "encontro" inusitado


E então ela acordava assustada, respirando rapidamente sem compasso. Lembrava-se ainda perfeitamente daqueles olhos de jabuticaba profundos como um poço sem fundo, que nele podia ver seu reflexo. Sentou-se na beirada da cama e apoiou a cabeça nas mãos, tentando lembrar do sonho do qual acabara de sair. Era confuso e as cenas misturavam-se umas com as outras, tornando-o ainda mais embaraçoso.
Mais tarde, quando encontrava-se imersa em seus pensamentos, um beija-flor novamente entrou em seu campo de visão. Desde aquele sábado remoto, onde vira um lindo e pequeno beija-flor colhendo mel das plantinhas vermelhas de sua mãe, sem falta, a visitava nos finais de semana. Mas isso não vem ao caso - não agora.
Tentava repetidamente organizar as cenas do sonho, mas a noite fora longa e muitos sonhos faziam malabarismo em sua mente. Ela sabia apenas uma ordem: a final. Antes do grand finale acordou, que raiva. Por que é que sempre acontecia isso? Ela não sabia. Então tentou voltar à ultima cena vista: os olhos cor jabuticaba, de quem eram?
Sem sucesso os procurou em seu meio. Não pertenciam a nenhum amigo ou conhecido. Podia ser de algum desconhecido que algum dia vira na rua? Ah! Que diferença faz? Sua mãe a chamava para tomar o café da manhã - ela estava sem fome, ainda intrigada com o dono dos olhos profundos.

Quem sabe algum dia ela dê sorte e os encontre? Até outro encontro.
God bless you.

Nenhum comentário: