Páginas

sábado, 30 de julho de 2011

A yellow smile.

Tenho uma raiva profunda de quando alguém me diz o que fazer. Como elas não sabem do que sei, dou apenas um sorriso amarelo em "agradecimento" e acabo com o assunto.
Mas o que elas não sabem é que eu observo. Os movimentos e os gestos, os olhares e as introspectivas. Os músculos se contraindo refletindo sentimentos ocultos.
E mesmo assim sei que não poderei fazer nada. Afinal, é uma coisa minha e, sendo minha, a faço do jeito que bem intendo.
Um sorriso amarelo a mais ou a menos para eles não fará diferença, pois então que venham e amenizem as coisas.

É isso aí!

2 comentários:

Blogueira Fajuta disse...

Gabi, em toda a nossa vida sempre aparecerão aqueles sejam familiares, amigos, conhecidos que opinarão como devemos agir e coisas do gênero. Alguns são porque gostam de se intrometer na vida alheia, outros são porque acreditam que é seu dever e o fazem na melhor das intenções. Você está fazendo o certo, quando julgar impertinente, desnecessário, sorrir e deixar pra lá, nem vale a pena se indispor. Mas veja se algumas coisas não podem ser útil, se passando uma peneira em toda a farofada não resta um pepita de ouro.

O que se sabe, afinal? disse...

Gostei do provérbio! ^^
É, vejo que há coisas ainda a serem analisadas. Porém noto, com pertinência, que cada um sabe até que ponto a "orientação" não é inconveniente... Mas enfim, é só mais um de tantos degraus da vida a escalar, cada um aprende da maneira que lhe cabe! ^^