Páginas

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Eu queria...

Às vezes gestos, olhares e sorrisos me fazem lembrar de ti. Soa meloso e todo apaixonado meu jeito desconcertado ao teu lado
Para mim a pior saudade é aquela que sabemos a quantidade. Não da saudade em si. Mas a quantidade de quilômetros que nos separam. A quantidade de dias afastados. Ou até mesmo quantas aulas até chegar a hora do recreio para poder te ver.

És meu refúgio secreto. Meu pote de lágrimas derramadas.
E sou, para ti, tua pele, calor e carinho. Sou aquela que bagunça teu cabelo a fim de tornar-te somente bonito para mim. Imagino assim ser o modo como acordaria.

Gosto de coisas simples. Gosto de você. Gosto de estar com você.
Queria poder te ver com os olhos se fechando de sono e com o cabelo bagunçado ao acordar.
Queria poder te ter comigo ao por e nascer do sol. Queria te ter comigo para ver as estrelas e as fases da lua. Poder por as mãos em teus bolsos ao ver uma estrela-cadente e fazer meu pedido. Realizar meus desejos e sonhos de criança. Brincar de ser feliz como quando criança.

Queria te ter ao meu lado para dividir conquistas, mesmo que no banco imobiliário.

Sou aquela a quem busca refúgio, colo e carinho. A quem busca o afago na hora de dor. Sou aquela quem adivinha, pelo teu olhar, como estás por dentro. Sou teu refúgio secreto e doloroso.

Um comentário:

Renan Donatti disse...

Curti, curti e curti! eiaueoaeueao