Páginas

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

A família não é mais aquela?

Mas que família é aquela?
Que tipo de família é aquele?
Não se sabe de onde veio e aonde vai.
Seus princípios e conceitos.
 Seus preceitos e preconceitos.

Me pego observando-os.
Sou um observador constante.
Observo qualquer coisa.
Uma cena ou uma letra,
Uma carta ou um poema.

Sinto, reflito.

Ainda não sei responder à pergunta.
Como faço isso, não sei.
Tentarei da próxima vez.
Tentarei algo melhor.
Serei algo melhor.

Melhor que o quê?
Que referência vou tomar para me avaliar?
Auto-avaliar é definir-se. Restringir-se.
Não quero.
Volto, pois, a observar.

Nenhum comentário: