Páginas

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Pergunta ‎55. Como gostaria de morrer?

Dizia que queria que fosse dormindo para não sentir dor, mas não acredito mais nisso, se vou deixar aqui as pessoas que amo, irei sentir dor. Então para mim não faz diferença forma que morrerei, mas sim como deixarei o mundo. Quero antes de acontecer, poder me desculpar.

Atitudes às vezes precipitadas

Às vezes pensamos que estamos fazendo o certo agindo com o coração, mas então vemos que tudo que fizemos foi errado, porque alguém saiu machucado.

Aquilo que Sinto Quando Fecho os Olhos

Mas venha e explore.
A água não para.
A saudade que aperta e enlouquece
Como algo ainda mais esperado
O sentimento que entristece
Regozija o combinado.

O Nosso Amor a Gente Inventa

O teu amor é uma mentira
Que a minha vaidade quer
E o meu, poesia de cego
Você não pode ver

Cazuza

Procuro a Palavra Palavra

Procuro desenhos
Dentro da palavra.
Sonoros desenhos, tácteis,
Cheiros, desencantos e sombras.
Esquecidos traços. Laços.
Escritos, encantos reescritos.
[...]
Palavras são seda, aço.
Cinza onde faço poemas, me refaço.
[...]
Adaptado de BELL, Lindolf. O código das águas. 3. ed.São Paulo: Global Editora, 1994. p. 17-1
"Põe-se, então, a narrar sua história com a compulsão de uma Sherazade."

20 de Novembro de 2010

Vivemos num mundo de hipocrisias, onde a amizade nem sempre e verdadeira, porque as pessoas vestem máscaras e não se importam com o alheio.