Páginas

quarta-feira, 30 de maio de 2012

A palavra mais escrita no referido é "janela".


imagem daqui

Devo ser um pingo sociopata.
Sim, assusto-me também ao ler essa frase de novo e de novo. Mas é verdade. Descobri recentemente que adotei uma mania peculiar nesta minha vida pacata que gosto de recostar-me à janela e observar a vida que corre solta e desembestada pelos andares do prédio onde moro. Em cada andar há uma história nova para ser contada, uma vida para observar feito abelha quando pousa na parede e fica horas parada apenas olhando a vida passar. Vizinhos adoram pijama.
Há uma, em particular, a qual não intendo o motivo de sempre atender ligações em seu celular no andar superior a seu apartamento. Parece até que ela quer esbanjar na cara dos outros sua vida cheia de encontros e consultas médicas. Uma vez, aliás, me deu 1kg de sorvete de caipirinha, regado a torto e a direito por pinga, provavelmente estava tonta.
Em fevereiro eu era aos olhos dos moradores do apto. de cima a geek daqui, cheguei na faculdade atrasada e estava tentando me adiantar e, logo após pegar o ritmo, passei a estudar somente o suficiente e disponibilizar meu tempo "livre" com coisas interessantes pela internet, meu blog como exemplo. Um motivo também por eu estar sempre perto da janela é que minha cama tem rodinhas e escorrega sobre o chão (de giz) liso, então me sento na parte dela onde as mesmas têm freio - que riscam o piso quando vou limpar, tsc -, é também onde pega mais claridade para ler. Tenho alguns outros motivos.
As vezes vou à janela olhar o céu e qualquer coisa que esteja ao meu alcance só para disfarçar a espionagem. Sim, fiz várias vezes. Como não tenho cortina em meu quarto por preguiça de instalá-la, os que passam pela escada também vêm o que faço. Chamam-me de "mundo paralelo" por estar sempre ali no mesmo cantinho com meu laptop fazendo seja lá o que a ociosidade queira.
Da janela pude perceber que há um homem vivente no último apartamento que tem um bom gosto musical e toca um par de instrumentos - da pena pensar que quando me mudar daqui só ouvirei o mundinho fechado chamado (pseudo) sertanejo -. O cara já tocou Dire Straits, The Mammas and The Pappas, Red Hot Chili Pepers e, recentemente, meu preferido Los Hermanos.
Privo-me da sensatez e aprecio a melodia e a paz que invade meu ser e meu mundo (determinado pelas paredes de meu quarto) vindas de outras vidas que diariamente querendo ou não aderem-se à minha.

4 comentários:

Dinho disse...

Que mania besta!

O que se sabe, afinal? disse...

Cada um com as suas. :)

Índia disse...

Cada uma com as suas mesmo. Eu tenho umas, não muitas, mas algumas são até inconfessáveis porque... são bestas demais! Cama de rodinha? Tipo uma maca? Hahaha Fiquei pensando. Bom, pelo menos você tem, ao que parece, cenas insólitas para observar e um vizinho que toca música boa! It's not my case.
:(

Ah, fiquei curiosa para experimentar um sorvete de caipirinha...

O que se sabe, afinal? disse...

Uma cama box. Mas dormir em cima de uma maca seria perfeito se o quarto fosse todo decorado como hospital/medicina e essas coisas. Compre sorvete de limão e acrescente pinga. Fiquei com vontade de pedir para fazer uma audição na banda do vizinho músico. Mas como não canto muito bem não conversei a respeito.