Páginas

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Seríamos julgados feito pedaços de bolachas esquecidos sob a mesa?

Um dia desses à hora do café deparo-me com isso: um pedaço de bolacha esquecido ou não querido por alguém, bem ali sobre meu nariz. E se fossemos comparados a um pacote inteiro de bolachas? Onde as melhores (mas não tão melhores assim) estão por cima e as castas ou camadas da sociedade vêm logo abaixo até chegar aos dalits.
Sinto que Aldous Huxley e George Orwell criaram duas versões de mundo que hoje, se analisarmos bem, são uma só. Estamos o tempo todo vigiados por câmeras de segurança, como forma de precaução em casos de assalto ou perigo alheio em geral, e somos julgados constantemente por gente que nem ao menos nos conhece e que ao que parece, querem colocar cada um em seu devido lugar, como no pacote de bolachas.
Não é preciso muito, pense apenas alguns instantes em como é formada a pseudo-sociedade em que vive. Gente passando por cima de gente e querendo lhes ensinar como viver, ditar regras, conceitos, morais e etc. Nem a religião atualmente está livre disso. O que antes era passado de pai para filho, hoje é quase que apenas como a jogada Húngara por trás das ONGs - forma de ganhar dinheiro abusando da fé alheia.
MUNDO MARAVILHOSO, ESTE NOSSO! Deliciosas bolachas, como mostra na imagem meramente ilustrativa não passam de farelos.

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Um leve esboço sobre "boniteza".

Engraçado como gostos são distintos e alienáveis.
Há uns dias estava conversando sobre o que é afinal a beleza e um rapazinho me disse:
- Eu acho a Marilyn feia, prefiro a Katy Perry e a Megan Fox mais bonitas.
Comecei refletir sobre. Se for apenas fazer uma leve comparação, a meu ver, Marilyn ganha, porque naquela época não havia silicone e toda a tecnologia que tem hoje para transformar as mulheres feias em "bonitas".
A beleza hoje é extremamente relativa, não passa de um estereótipo baseado no poder aquisitivo. Mulheres sem prótese são colocadas de lado quando  se tem em comparação mulheres com cirurgia plástica. Imagine a que ponto chegamos: A BELEZA É ARTIFICIAL. E além disso, há também o modo de ser, que não passa também de fingimento - um exemplo fácil é Paris Hilton, com seu modo de falar, agir e sorrir totalmente genéricos - para atração das câmeras.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Rousseau

"A beleza das mulheres é algo natural. Ou se é bonita ou feia. Os enfeites são apenas vaidade da posição social e não torna uma mulher feia em bela. Os benefícios dos enfeites não aqueles esperados, comparado com o tempo perdido na arrumação."

Texto tirado daqui.

Barão

"Toda brincadeira Não devia ter hora prá acabar" 

Uma breve nota sobre isso tudo e nada.

Eu sei que sou dura ou crítica demais as vezes, mas é meio que inevitável - uma vez que reclamo de tudo, mesmo que como elogio - e sei também que as pessoas podem pegar uma imagem errada sobre mim.
Eu sou animal.
Não reflita sobre isso com entonação de termo pejorativo, aconteceu que eu ia escrever "eu sou humana" mas acho que essa oração já se tornou um clichê, então cambiei para animal (o que não deixa de ser verdade).
No período qual nos encontramos - eleitoral - está me desgastando muito. Em todo lugar que estou há os infortúnios das bajulações e mentiras e coisa e tal. Não gosto de politicagem. Não suporto. Não quero. Saio de perto.
São opiniões e pensamentos demais no momento e é insuportável mantê-los somente para mim. Eu me basto, claro, mas há coisas que precisam ser ditas.

sábado, 8 de setembro de 2012

Algumas coisas têm de ser ditas.

Vim para fazer uma reclamação.
Estudo numa escola que serve como 2ª, 3ª, 4ª ou 5ª chance de estudo para os alunos. A maioria deles já é velho, cada um com par de filhos e trabalho árduo - na sala que frequento somente eu e mais 3 pessoas não temos filho -. Grande quantidade dos professores dão aulas medíocres + lição de moral e de vida, como se ninguém ali tivesse problemas suficientes para ficar escutando desabafos dos letrados.
Para piorar a situação da escola referente aos professores, parece que há uma competição em qual deles passa mais trabalho aos alunos como forma de procrastinar. Já não suficiente a correria diária dos que ali querem outra chance na vida, têm ainda que lidar com a pilha de tarefas e trabalhos a eles passados, com as lições verbais recebidas E AINDA ter que lidar com a vergonha/medo de tirar dúvidas porque os que estão ali para ensinar "acham desaforo ter que responder esse tipo de pergunta, como se ninguém estivesse prestando atenção".
Sei que minha atitude é errada ao fazer isso, sei como a classe dos professores está no momento pois minha própria mãe é uma delas. Mas convenhamos que atitudes têm que ser tomadas! Onde já se viu aluno TER MEDO ou VERGONHA em pleno último ano do ensino médio de PERGUNTAR ou TIRAR DÚVIDAS? Eu e minha boca grande enfrentamos alguns conflitos por causa destes acontecimentos mencionados.
Já me chamaram na coordenação para pedir que eu responda menos os professores, mas eu me pergunto: se eu não o fizer, quem é que o fará? Na hora da correção das atividades somos poucos os que respondem... Também não me incomodo em levantar de minha cadeira a qualquer momento da aula para ajudar os que têm dificuldade, uma vez que os lá da frente não fazem o trabalho deles.

Enfim, acho que minha mensagem foi passada.