Páginas

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Seríamos julgados feito pedaços de bolachas esquecidos sob a mesa?

Um dia desses à hora do café deparo-me com isso: um pedaço de bolacha esquecido ou não querido por alguém, bem ali sobre meu nariz. E se fossemos comparados a um pacote inteiro de bolachas? Onde as melhores (mas não tão melhores assim) estão por cima e as castas ou camadas da sociedade vêm logo abaixo até chegar aos dalits.
Sinto que Aldous Huxley e George Orwell criaram duas versões de mundo que hoje, se analisarmos bem, são uma só. Estamos o tempo todo vigiados por câmeras de segurança, como forma de precaução em casos de assalto ou perigo alheio em geral, e somos julgados constantemente por gente que nem ao menos nos conhece e que ao que parece, querem colocar cada um em seu devido lugar, como no pacote de bolachas.
Não é preciso muito, pense apenas alguns instantes em como é formada a pseudo-sociedade em que vive. Gente passando por cima de gente e querendo lhes ensinar como viver, ditar regras, conceitos, morais e etc. Nem a religião atualmente está livre disso. O que antes era passado de pai para filho, hoje é quase que apenas como a jogada Húngara por trás das ONGs - forma de ganhar dinheiro abusando da fé alheia.
MUNDO MARAVILHOSO, ESTE NOSSO! Deliciosas bolachas, como mostra na imagem meramente ilustrativa não passam de farelos.

2 comentários:

Índia disse...

Excelente texto, só um detalhe: a religião na verdade sempre foi uma instituição que julgou impiedosamente tudo e todos que manifestassem alheios ou contra seus preceitos inúteis e preconceituosos.

:)

Renan Donatti disse...

É.. Hoje em dia vivemos em um mundo em que somos constantemente julgados e em que sempre estamos errados.. ou seja.. se vivermos como a sociedade quer nao viveremos, e de que adianta viver como a sociedade quer, se sempre (ou na maioria das vezes) estaremos errados ou tera alguem nos julgando?