Páginas

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

O lugar onde eu vivo

Cidade da Amazônia
Na planície a ventar
Surgiu tão humilde
Para o povo abrigar

Embalando muitos sonhos,
Se abrindo ao abrigar
Acolheu as esperanças
Atraídas para cá

Confortou, serviu de pouso
A todos de qualquer lugar
Com água na nascente
E o chão pra se instalar

O seu grande coração de mãe
Discou da natureza retirar
O necessário e muito mais
Até pra gente enricar

Na época era possível
Hoje é proibido desmatar
Pra recuperar o que não cuidaram
Precisamos replantar

E Vilhena vai crescendo
Cada dia um ano inteiro
Tentando se entender
Com a flora, a fauna
E o progresso brasileiro.

Eduardo Camargo de Moura, aluno de mamãe, e ganhador até então da fase municipal e regional da Olimpíada de Língua Portuguesa.

Um comentário:

Índia disse...

Muito bom. Ao nosso redor temos muitos talentos, basta olharmos com carinho... Melhor até do que muita gente que tem oportunidade de se destacar no cenário nacional.