Páginas

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Acho que estou crescendo, sabe?

"Na falta do que fazer fui procurar minha opinião própria. É, deixe-me te explicar: ouvia tanto umas pessoas falando de outras, disto e daquilo que não tinha certeza se era fato ou boato.
Na realidade, eu queria me sobressair, sim, daquelas meninas fúteis e descoladas que tanto via na rua. Eu não podia ser igual a elas. Queria ser o que os meninos gostam de verdade e queria ser para mim. Foi interessante, mas ainda não descobri quem sou. Falta-me dinheiro. Claro que sim! Não tem como definir personalidade com as roupas que tua mãe compra pra ti.
Aos poucos fui me moldando, aprendendo umas coisas aqui, algumas ali, me adaptando a uma nova forma de olhar e compreender e até mesmo entender as coisas. Passei a estudar mais, organizar meu tempo, ouvir músicas diferentes até perder meu mp3, filmes mais inteligentes, livros, tentar me socializar com amigos 'novos'.
Foi difícil, ainda é. Não cheguei ao resultado e não sei se chegarei a tempo ou se é lá que há tempo pra isso. Agora eu ando groove, experimentei e é hora de analisar. É claro que errei bastante. Cometi gafes socialmente, vacilei com alguns amigos e inclusive namorado, perdoado tudo foi, só não posso deixar de aprender com isso. Afinal, o que todos querem na verdade não é pedir para ser chamado de adulto. O que querem inconscientemente é um elogio (inesperado) deste."

Breve episódio.

Pernas, roupa, tênis, rua, caminho, pessoas, árvores, pássaros, nuvens, sóis, ops, sol, água, gotas, chuva. Chuva? Corrida, esconderijo, abrigo, árvore novamente, música, sono, volta, tropeços, barro, asfalto quente, fome, calor, frio, ansiedade, corrida, esquina, carros, moto, bicicleta, bêbados, andarilhos, desconfiança, olho, quadra, rua, portão, casa, calçada, abrigo. Ah!