Páginas

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A coletividade do individual.

Tudo o que sou e nada
faz parte de mim este tudo
que preenche minha existência,
mas tudo o quê se sou pouco?

Não vivi nada até agora
controvérsias haverão amiúde
estaria eu morta em comodismo
que de mim mesma enxergo nada?

Da autoanálise subjetivada
encontrei-me a mim mesma
caso contrario não seria auto
e numa epifania louca confiei-me.

Tudo que sei e nada
fiz o que pude,
tentei.

Um comentário:

Índia disse...

Excelente não define.